Vendas com cartão

Como entender essas operações?

83

Hoje em dia é impossível pensar em um negócio que não conte com um sistema para aceitar pagamento com cartões. Afinal, as vendas com cartão já são realidade em todos os segmentos do setor, atraindo e facilitando a vida dos consumidores.

Entretanto, para o varejista, o funcionamento das vendas com cartão nem sempre é algo claro, pois muitas vezes ele não sabe o que está envolvido nessas operações. Nesse artigo vamos explicar alguns detalhes importantes desse meio de pagamento, para que consiga entender como funciona e evitar que se transforme em um problema.

Taxas

As taxas e tarifas são as grandes causadoras de dúvidas nos varejistas. Muitas vezes já aceitam vendas com cartão na loja, mas ainda não sabem quanto e o que pagam para oferecer esse serviço.

Para aceitar cartões em sua loja é preciso contar com os serviços de uma adquirente, nesse momento é indispensável firmar um contrato acordando todos os valores que serão cobrados e as taxas inseridas nesse processo.

Conheça as taxas que, normalmente, são cobradas para que se possa realizar as vendas com cartão:

Aluguel da máquina: valor que é cobrado por mês para que o varejista possa utilizar o equipamento responsável por passar o cartão e realizar todo o processo.

Taxa do cartão: esse valor é cobrado sobre cada venda, de modo que existe uma diferença entre o tipo de cartão usado na venda (crédito ou débito).

Taxas de antecipação: o valor das vendas não é repassado instantaneamente para o varejista (entenda sobre o período de pagamento no próximo tópico), sendo assim, algumas adquirentes realizam a antecipação do valor, cobrando uma taxa para tal serviço.

Taxa de parcelamento: uma das grandes vantagens das vendas com cartão para os consumidores é a opção de parcelamento, entretanto olhando para o lado do varejista, só é possível oferecer esse serviço pagando uma taxa para a operadora.

POS e TEF

Os equipamentos responsáveis por tornar possível as vendas com cartões, são dois tipo de aparelhos: o POS e o TEF.

O POS é conhecido popularmente como maquininha ou maquineta. É aquela máquina portátil, que não possui fio ou nenhuma conexão com o ponto de venda. Esse tipo de equipamento é muito usado em empresas que precisam de mobilidade.

Apesar de conseguir mais praticidade, o varejista precisa tomar muito cuidado ao adotar uma máquina POS, afinal elas são mais visadas por fraudadores.

O segundo tipo de equipamento é o TEF. Esse tipo de máquina é o mais encontrado em varejos como supermercados, padarias e farmácias. Diferente do POS o TEF possui uma integração com o PDV e é conectado por um fio. Portanto o TEF é essencial para a segurança contra fraudes de trocas de máquinas.

Falamos sobre os principais elementos da venda, mas o varejista não pode esquecer do principal para o seu controle financeiro: a conferência das vendas.

Conheça o Conciliação de Cartões Getway

Um módulo que irá facilitar seu dia a dia, na conferência de tudo que é vendido, tudo que é cobrado pelas administradoras de cartões e muito mais!