Outubro Rosa

Câncer de mama: conhecer para tratar e prevenir

26

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos.

Para o Brasil, em 2019, são esperados 57.960 casos novos de câncer de mama. Tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma, o câncer de mama responde por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. Especificamente no Brasil, esse percentual é um pouco mais elevado e chega a 28,1%. Sem considerar os tumores de pele não melanoma, esse tipo de câncer é o mais frequente nas mulheres das Regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

Existe tratamento para câncer de mama, e o Ministério da Saúde oferece atendimento por meio do Sistema Único de Saúde, o SUS.

Quais são os fatores de risco?

Fatores ambientais e comportamentais: obesidade e sobrepeso após a menopausa, sedentarismo, consumo de bebida alcoólica, exposição frequente a raios-x;

Fatores da história reprodutiva e hormonal: primeira menstruação antes de 12 anos, mulheres sem filhos, primeira gravidez após os 30 anos, não ter amamentado, menopausa após os 55 anos, uso de contraceptivos hormonais, reposição hormonal pós-menopausa (principalmente por mais de cinco anos);

Fatores genéticos e hereditários: história familiar de câncer em ovário, casos de câncer de mama na família (principalmente antes dos 50 anos), história familiar de câncer de mama em homens, alteração genética.

Sinais e sintomas:

Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;

Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;

Alterações no mamilo;

Pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço;

Saída espontânea de líquido dos mamilos.

Como prevenir?

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis como:

Praticar atividade física regular;

Alimentar-se saudavelmente;

Manter o peso corporal adequado;

Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;

Amamentar.

Detecção precoce:

Autoexame das mamas;

Mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) a cada dois anos, para mulheres de 50 a 69 anos.

Mulheres com risco elevado para a doença devem conversar com seu médico para decidir a conduta a ser adotada.

O SUS oferece exame de mamografia para todas as idades, quando há indicação médica.